Os mitos à volta da cozinha, apenas me desafiam a entrar num ambiente que sempre gostei. Comer é um prazer, um acto social. Gosto de experimentar novos sabores e novas formas de cozinhar. Recordo os cheiros e sabores da infância, assim como após as minhas viagens venho para casa tentar reproduzir ou adaptar pratos que provei de outras culturas. Ouse e surpreenda os seus convidados ou a si próprio. Cozinhe,... sem tabus!


quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011

Por um Fio... Doce de Abóbora Gila e Courgette



A gila com os seus fios faz-me lembrar o equilíbrio, como aqueles artistas de circo que passam numa corda apenas com o apoio de uma vara para fazer de contra peso. Aqui na receita o equilíbrio refere-se à nossa capacidade de não abusar de açúcares. Como utilizo a gila em várias preparações de doçaria, decidi experimentar esta mistura de dois doces por si só excelentes.

O meu bolo de alfarroba amêndoa e gila leva uma boa quantidade,... já tenho a dispensa recheada. Pode-se usar numas tarteletes recheadas com este doce ou nuns lacinhos de massa filó. E que tal levar um frasco para o escritório (se for o seu caso), pode fazer os seus lanches a meio da manhã/tarde com umas tostas, até quem sabe um iogurte natural, um pouco de muesli e uma colher de chá deste doce.


Ingredientes:

1,5 kg de abóbora gila (descascada e limpa de sementes)
0,5 kg de courgette descascada
1,5 kg de açúcar


Preparação:

Corte a abóbora gila em fatias, como se estivesse a cortar melão. Retire a casca e todas as sementes que encontrar. Corte depois a fatia em pequenas tiras aproveitando a disposição dos fios da própria abóbora. Descasque as cougettes (aprox. duas grandes) e corte em pequenos bocados . Junte o açúcar e deixe cozer
em lume médio/brando aproximadamente 1 hora e 30 minutos.

Irá formar-se bastante líquido. Coza destapado para ajudar à evaporação. Mexa de vez em quando e tenha o cuidado de na parte final não deixar pegar no fundo o que queimará o doce. Quando atingir a consistência de compota (retire uma colher para um prato, deixe arrefecer um pouco e ao inclinar o prato se não escorrer de imediato é porque já atingiu o ponto). Guarde em frascos bem fechados. 


10 comentários:

  1. Boas sugestões na utilização deste doce.Eu sou apreciadora de gila mas numa quantidade reduzida, não gosto quando comemos um doce e é só gila, acho que fica um pouco enjoativo.

    Bjinhos
    Rita

    ResponderEliminar
  2. Das compotas que eu mais gosto........sou servida de um pouco com uma bolachinha...obrigado
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Excelente proposta Miguel! :D
    Gostei muito!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Bela idéia. O local vazio de minha dispensa acabou de ganhar uma excelente opção. Outra coisa... linda apresentação, muito criativa e dinâmica.

    Guilherme

    ResponderEliminar
  5. Bem a foto está fantástica, quanto ao doce estaria mesmo por um fio... se aqui o apanhasse hehehe, adorei!!

    ResponderEliminar
  6. Que foto linda, super legal.
    Ótima receita.

    Grande beijo
    http://prendadagarota.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Que bela combinação de ingredientes.
    Miguel não sei se sabes que não devemos cortar a abóbora gila com facas de lamina de metal, sempre com a mão para não oxidar, é só uma dica, não leves a mal
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  8. Hmm perfeito Miguel, adorei a imagem, está bastante equilibrada :) Tb gostei muito dos diferentes ingredientes usados na receita.. mais uma vez estas de parabéns.

    beijocas da marmita

    ResponderEliminar
  9. Caro Miguel,
    Desculpe-me a intromissão no seu espaço mas existem várias questões técnicas na sua execução do doce de gila e se gostou do seu, posso afiançar-lhe que poderá gostar ainda muito mais se quiser resolver essas questões, que não são coisas menores neste doce tão especial.
    Sugiro:
    http://outrascomidas.blogspot.com/2008/11/as-doces-abboras.html

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails